Qual a melhor maré de piscinas naturais? Entenda!

6 minutos para ler

Antes de planejar uma viagem que envolve mergulho, há sempre uma série de medidas a tomar, como produzir um roteiro, conhecer o destino e outros aspectos. Contudo, na empolgação do planejamento e na vontade de conhecer lugares paradisíacos, às vezes nos esquecemos de verificar algo fundamental: qual a melhor maré de piscinas naturais?

É preciso pesquisar as principais piscinas naturais do seu destino, organizar bem o passeio, de acordo com a tábua de maré, e optar pela visita em um dia de sol. Da Bahia até o Rio Grande do Norte, é possível encontrar uma grande barreira de recifes que oferecem aos banhistas lindas vistas.

No entanto, para aproveitar ao máximo o passeio e conseguir observar as piscinas naturais do jeito certo, é preciso saber as melhores condições para o mergulho. Entenda mais sobre o assunto para escolher o melhor dia!

O que é a tábua de maré?

Quem mora próximo de rios ou do mar, já sabe que a tábua de maré mostra um fenômeno diário, que é a alta e a baixa das águas. Como funcionam com uma movimentação periódica, é possível fazer uma tabela com horários específicos em que a água vai e vem, deixando a maré alta ou baixa.

É essa tabela, que mostra a previsão do movimento das águas, que recebe o nome de tábua de maré. Ela é medida em relação ao solo, e as mudanças acontecem em cerca de 6h12 aproximadamente, contando cerca de quatro turnos em um dia. É possível acompanhar as oscilações e horários exatos das alterações por meio do site da Marinha do Brasil.

Basta inserir a localização e uma data para saber como estará a maré no lugar. Portanto, essa é uma ótima ferramenta e que deve ser utilizada quando você for planejar a sua visita a piscinas naturais. Dessa forma, você poderá se programar para aproveitar ainda mais o passeio quando as águas estiverem na altura ideal.

Como isso influencia a visitação das piscinas naturais?

A explicação para isso é bem simples: se a maré não estiver adequada, o seu passeio pode, simplesmente, ficar inviável! Portanto, para não se frustrar por não conseguir conhecer as belezas das piscinas naturais, saber exatamente quando a altura da água estará boa para a visitação é essencial.

A tábua de maré influencia diretamente a experiência de conhecer as piscinas. Isso porque, quanto mais baixa estiver a água, melhor fica a visualização, pois ela fica mais cristalina e límpida. Nesse sentido, procure pelos horários em que a maré está baixa e saiba como chegar até o lugar para não perder tempo.

Algumas piscinas naturais são mais fáceis de alcançar, já outras ficam mais afastadas e recebem o nome de galés, que significa que só podem ser acessadas de barco. Entre esses locais, estão Maracajaú, no Rio Grande do Norte, Maragogi, em Alagoas, e outras regiões muito conhecidas e buscadas por turistas. Portanto, saber esses detalhes é fundamental para que seu passeio seja perfeito.

Qual a relação da maré com as fases da lua?

Se você ainda não sabe, é melhor ficar de olho em qual fase a lua estará durante a sua viagem. Isso tem uma relação direta com os níveis das marés, em que há momentos que são mais vantajosos para conhecer as piscinas naturais e outros nem tanto.

Por isso, o ideal é procurar quando a água secará, mas que seja antes de chegar ao ponto mais baixo. Assim, o mergulho será melhor para ver e fotografar os corais e animais, já que a água fica mais clara. Acompanhe como a maré costuma ficar em cada fase da lua:

  • lua nova: durante essa fase, a maré baixa sempre acontece pela manhã. Isso ocorre por que a terra, o sol e a lua ficam alinhados e acontece uma atração gravitacional, o que faz com que a água fique alta. Desse modo, a elevação é chamada de maré alta ou maré de sizígia;
  • lua minguante: quando está minguante, a influência do astro (que fica mais visível) e do sol reduz as marés oceânicas, fazendo com que elas diminuam. Ou seja, é um bom período para mergulhar;
  • lua cheia: assim como na lua nova, a maré baixa nesse período ocorre de manhã. Mas passadas duas semanas da fase, novamente o satélite se alinha com a terra e o sol, a lua fica cheia e a elevação da água faz com que a maré chegue a seu ponto máximo;
  • lua crescente: durante esse período, as diferenças entre as marés alta e baixa são menores, então, também não estão muito favoráveis para o passeio.

O que fazer para aproveitar melhor seu passeio?

Para que o seu passeio seja perfeito e você consiga aproveitar cada segundo admirando a vista, existem diversos fatores influenciadores. Entretanto, se você souber como escolher bem o dia, conseguirá ter ótimos momentos. Veja outros aspectos para observar antes de decidir a data do mergulho.

Escolha a época do ano

As épocas de chuva podem não ser bons períodos para mergulhar nas piscinas naturais. Por não saber exatamente em que dias choverá, o melhor é não viajar entre os meses de abril e julho. As tempestades mexem a água e afetam a visibilidade, bem como os dias nublados não são muito bons para admirar as belezas.

Preste atenção ao horário e à previsão do tempo

Mesmo que você queira chegar antes para aproveitar, ir muito cedo não é uma boa ideia. O indicado é mergulhar depois do meio da manhã, quando o sol estará mais alto e refletirá na água. A previsão do tempo é outra questão essencial, caso prefira fazer o passeio em um dia sem chuva. No entanto, mesmo em dias chuvosos os passeios ocorrem normalmente, e a visibilidade não é comprometida.

Conferir os fatores que mostramos neste post é de extrema importância se você quer aproveitar a melhor maré de piscinas naturais. Além disso, é necessário ter todos os cuidados para preservar o local e a vida marinha. Dessa maneira, você vai conseguir curtir ao máximo o passeio e ficar com vontade de voltar!

Achou interessante conhecer como a tábua de maré funciona e influencia a visitação às piscinas naturais? Então, compartilhe o post nas suas redes sociais!

Powered by Rock Convert
Posts relacionados