Maracajaú: o guia completo com opções de passeios

12 minutos para ler

A 55 km de Natal, capital do Rio Grande do Norte, a Praia de Maracajaú é conhecida como o Caribe brasileiro. Isso porque uma grande barreira de corais multicoloridos (ou parrachos) próxima à costa forma uma imensa piscina natural, com águas mornas e límpidas, repleta de fauna e flora marinha, o que torna o lugar ideal para mergulho.

O mergulho livre ou com cilindro são os principais pontos de interesse do local, mas estão longe de serem os únicos atrativos. Além dos parrachos, em Maracajaú, os turistas encontram lagoas, dunas e coqueirais à beira-mar, em um cenário de tirar o fôlego. A paisagem local é extremamente preservada, e há várias opções de passeio para apreciar as belezas naturais.

Quer conhecer esse refúgio? Então, acompanhe as nossas dicas para aproveitar o melhor de Maracajaú!

Onde fica Maracajaú?

A Praia de Maracajaú, que faz parte da Barra de Maxaranguape, fica no Rio Grande do Norte, a cerca de 55 km da capital do estado. No município de Maxaranguape está o ponto mais próximo da África de toda a América do Sul: o Cabo de São Roque. Nesse local, em 1898, foi construído um farol, que se tornou o cartão postal da cidade.

A região faz parte da Área de Proteção dos Recifes de Corais do Rio Grande do Norte (APARC – RN), o que garante a preservação da biodiversidade e do ecossistema. A área de proteção foi criada em 2001 e engloba a costa marítima que vai de Maxaranguape a Touros.

As piscinas naturais são propícias para a prática do mergulho livre com snorkel ou com cilindro

Em função disso, as visitas ao pequeno vilarejo de Maracajaú, que tem apenas 2 mil habitantes, são controladas. O que garante o local preservado, encantando os visitantes e despertando o interesse de turistas do mundo inteiro.

Para chegar ao vilarejo, o melhor trajeto é pela rodovia BR 101, no sentido de Touros, seguindo a sinalização até a praia de Maracajaú, num acesso direto ao local. Para quem não está de carro, há opções de transfer direto até essa cidade, partindo da praia de Ponta Negra, Pipa e outras.

Quais são as suas principais características?

Além das dunas, lagoas e coqueirais, a praia de Maracajaú é famosa pelos parrachos, Como são regionalmente conhecidas as barreiras de recifes de corais. Os recifes ficam a 7 km da costa e são acessados por lancha ou catamarãs.

Na maré baixa, formam-se, no local, piscinas naturais, com águas mornas e cristalinas, com profundidade variando entre 1 e 3 metros. A cadeia de corais ocupa uma área de 13 km² .

Nas piscinas naturais, é possível praticar o mergulho livre — aliás, o local é considerado um dos dez melhores do Brasil para a prática — ou com cilindro. A rica fauna local permite que o mergulhador observe uma grande diversidade de vida marinha, que inclui crustáceos, polvos, moreias, arraias, baiacus, robalos, tartarugas, entre outros.

Vale ressaltar que os corais de Maracajaú por serem mais distantes da costa e um pouco mais profundo possui mais vida marinha do que outros corais vizinhos, proporcionando uma experiência única de mergulho. Os corais, cujas tonalidades chamam a atenção dos visitantes, são organismos vivos, que criam um verdadeiro ecossistema, com outros organismos microscópicos.

Na costa, a vegetação predominante é a restinga — arbustos baixos que resistem às altas temperaturas, presentes nas dunas e entre elas. Cajueiros, coqueiros e mangueiras são as principais árvores locais. Por lá, além dos pássaros, outros animais comuns são as iguanas e os macacos saguis.

Por ser uma área de preservação ambiental, a natureza local está praticamente intocada. Assim, a principal fonte de renda dos moradores locais é a pesca e o turismo. Na vila, as construções rústicas mantêm suas características originais.

História

Muita gente não sabe, mas o nome Maracajaú provém do tupi maracajá-u, que significa rio ou bebidas dos maracajás, o vilarejo fica na cidade de Barra de Maraxaranguape que por muito tempo fez parte do município de Touros. Em 1832, já existia a pequena povoação habitada por pescadores, e senhores de engenho de Ceará-Mirim, cidade vizinha.

Em 29 de janeiro de 2019, a cidade de Barra de Maxaranguape completou 60 anos de emancipação política. A cidade é cercada por dunas, coqueirais e lagoas. Em Maracajaú habitam cerca de 2000 pessoas, uma pequena vila de pescadores, cuja principal atividade econômica da cidade é o turismo.

Naufrágios

Em função dos recifes de corais, no local já ocorreram alguns naufrágios, decorrentes da falta de profundidade. Assim, para quem gosta de mergulho, além da flora e fauna marinha, esses locais acabam sendo uma atração à parte.

Aliás, uma das atrações de Maracajaú é a vista da praia para o farol de Tereza Pança, lugar que ficou conhecido por causa do naufrágio de uma embarcação italiana chamada Tereza Panci, que bateu em um recife, na década de 30. Hoje, o farol é de propriedade da Marinha do Brasil, sendo um importante marco de sinalização náutica do litoral do nordeste brasileiro.

Quais as belezas naturais de Maracajaú?

Como já destacamos, cada ponto de Maracajaú tem uma paisagem deslumbrante, fazendo da região um verdadeiro paraíso natural. A natureza preservada, que garante o ecossistema praticamente intacto, é o grande atrativo do local.

A água limpa e com temperatura sempre agradável, o mar tranquilo, com vários tons de azul, a areia branca e a grande faixa de coqueiros fazem com que a região seja conhecida como o Caribe brasileiro.

Para chegar até as piscinas naturais, o transporte ideal é o catamarã, que proporciona um passeio confortável para famílias com crianças ou idosos. Para aqueles que não querem mergulhar, existem plataformas flutuantes, nas quais é possível ver os corais e os peixes tropicais.

No entanto, embora as piscinas formadas pelos parrachos sejam consideradas uma das principais belezas naturais de Maracajaú, toda a região tem atrativos e paisagens de tirar o fôlego. As praias locais têm uma das águas mais cristalinas de todo o Brasil, cercadas de cenários incríveis formados pelas dunas e coqueiros.

Quais as suas principais praias?

Maracajaú é uma das mais conhecidas praias do município de Maxaranguape, mas não a única. Aliás, em Maxaranguape, não deixe de conhecer a famosa “árvore do amor”, formada pela junção de duas gameleiras. Em função da força dos ventos no local, as árvores cresceram entrelaçadas, quase abraçadas, daí a referência ao amor.

Bem perto de Maracajaú, existe uma praia ideal para surfistas, a Prainha, com mar limpo e agitado, cercada por cajueiros e coqueiros. Caraúbas, envolta por pedras e falésias, é uma praia selvagem e deserta da região. Também nos arredores, há a praia da Pititinga, uma vila simples de pescadores, com águas tranquilas e dunas.

Um pouco mais distante, a cerca de 70 km, é possível visitar outros paraísos, como São Miguel de Gostoso, um local ideal para os praticantes de windsurf, ou as dunas de Genipabu (42 km), onde os atrativos são o sandboard e o passeio de dromedários pelas dunas.

Quais passeios fazer em Maracajaú?

O principal, sem dúvida, é a visita às piscinas naturais formadas pelos parrachos. No entanto, esse não é o único passeio na região. Confira todas as atividades locais para incluir em seu roteiro!

Passeio de catamarã com mergulho livre

O percurso de catamarã até os parrachos leva em torno de 30 minutos. Além da estabilidade, os catamarãs oferecem aos turistas alguma infraestrutura, como sanitário e guarda-volume.

Nesse passeio, os visitantes permanecem nos corais por cerca de uma hora e meia. Normalmente, no valor cobrado estão inclusos os equipamentos necessários para o mergulho, máscara, snorkel e colete flutuador, além da taxa ambiental.

Essa modalidade de mergulho, conhecida como snorkeling, requer apenas um breve treinamento. Porém, quem preferir não mergulhar poderá ficar em uma plataforma com deck apreciando a paisagem, a vida marinha e desfrutando do bar a bordo, com petiscos e bebidas.

O mergulho ocorre conforme a tábua de maré do dia

Mergulho com cilindro

Maracajaú também é um local muito procurado para o mergulho com cilindro, praticado por pessoas que já passaram por treinamento específico.

O chamado batismo, ou seja, o primeiro mergulho com cilindro do indivíduo, também é muito praticado na região. Nesse caso, um instrutor mergulha junto com o turista, com equipamentos profissionais. Antes disso, no entanto, o praticante precisa fazer uma aula teórica, na qual aprenderá os procedimentos e sinalizações em baixo d’água.

Seabob

O seabob é uma espécie de scooter subaquática, que deixa o visitante totalmente livre para explorar os pontos da região sem gastar muita energia. Assim, com o equipamento, é possível conhecer toda a área em muito menos tempo.

Como o seabob é indicado, inclusive, para pessoas que não sabem nadar, é possível apreciar todos os corais da região e a vida marinha local. Crianças a partir dos 10 anos já podem participar dessa aventura.

Vale destacar que Maracajaú é o único lugar do Brasil que conta com o equipamento em operação. O passeio é comercializado pelo Parrachos Praia Clube.

Os Seabobs do Parrachos Praia Clube são os únicos do Brasil

Passeio pelas dunas

O passeio pode ser realizado de 4×4, quadriciclo ou mesmo a pé. Durante a visita, em meio ao sobe e desce das dunas, o turista passa por algumas lagoas de águas cristalinas, rios e praias nos arredores.

Além de mergulhar nesses cenários paradisíacos, algumas práticas como o sandboard também ganham espaço, especialmente no Morro da Pracinha, a maior duna de Maracajaú.

Trilha do General

A bordo de um ônibus com temática militar, os visitantes percorrem uma trilha até o rio Piracabus, onde é possível praticar stand up paddle ou relaxar em redes que ficam dentro da água.

O General realiza passeios pelas praias de Maracajaú, Caraúbas com uma parada para banho no Rio Peracabus

Práticas esportivas

Além das modalidades de mergulho livre e com cilindro, outros esportes são praticados nas águas de Maracajaú, como o kitesurf, o windsurf e o stand up paddle. Nas lagoas, com águas mais tranquilas, o caiaque também é uma opção.

Interação com a comunidade local

Maracajaú é um pequeno vilarejo, que vive basicamente do turismo e da pesca. Para quem gosta de artesanato, na região é possível encontrar várias peças produzidas em junco, madeira e fibra, além de matérias-primas vindas do mar, como algas e conchas.

A gastronomia também é única, com várias opções de restaurantes que oferecem pratos de comida caseira regional com frutos-do-mar sempre frescos.

Onde ficar em Maracajaú?

Depois de conhecer mais sobre Maracajaú, com certeza você deve estar pensando em incluir esse destino em sua próxima viagem, não é? Realmente, é um passeio imperdível, capaz de proporcionar experiências únicas!

No local, há opções de hospedagem para todos os gostos e bolsos. Por ser uma vila de pescadores e uma área de preservação ambiental, os hotéis e pousadas oferecem a oportunidade de integração com a natureza e com o ecossistema local.

Uma das principais pousadas na região é a Ponta dos Anéis, localizada à beira-mar, com enormes coqueiros e uma vista privilegiada da praia de Maracajaú. Com 2,5 mil metros quadrados de área, a pousada oferece várias comodidades aos hóspedes, como piscina, churrasqueira, restaurante, playground, quadra e, claro, a vista incrível para uma das mais belas praias do Rio Grande do Norte.

Além da pousada que indicamos, outros hotéis também estão presentes na região e podem ser boas opções para o turista, como o Hotel Enseada de Maracajaú, que certamente oferecem um dos melhores serviços da região. Para pesquisá-los, vale a pena consultar sites especializados em viagens, como o TripAdvisor, e conferir as resenhas de outros hóspedes.

Verifique alguns serviços, como conforto e limpeza dos quartos, qualidade do atendimento, estacionamento, acesso à internet e apoio para a contratação de passeios.

Reservas antecipadas

Conforme destacamos, a região faz parte de uma área de preservação ambiental e, portanto, tem controle da quantidade de visitantes. Por isso, é importante sempre reservar os seus passeios com antecedência, garantindo o seu lugar.

Ao reservar no local, além de correr o risco de os lugares estarem esgotados (principalmente no caso de passeios de catamarã até os parrachos), os preços são mais elevados. Assim, vale a pena se programar com antecedência!

Turismo responsável

Ao visitar a região, os turistas devem ficar atentos a práticas responsáveis durante a viagem, tais como:

  • levar a sua sacolinha para a praia ou passeios, recolhendo todos os resíduos gerados durante a visita;
  • evitar o uso de descartáveis, levando, por exemplo, garrafinhas reutilizáveis de água nos passeios. Quando necessário, colete os resíduos, deixando a natureza intocada;
  • não levar “lembranças” além de fotos e boas memórias. Os corais e a vegetação local devem ser preservados;
  • valorizar a cultura regional, preferindo comprar itens artesanais, produzidos pelos moradores;
  • contratar guias e empresas locais, que demonstrem preocupação com a preservação ambiental e com a cultura regional.

Ao programar uma viagem para o Rio Grande do Norte, não deixe de incluir Maracajaú em seu roteiro. O chamado Caribe brasileiro proporciona uma experiência única aos visitantes, com paisagens deslumbrantes, águas quentes e cristalinas, passeios para todos os gostos e excelente gastronomia.

Gostou de saber mais sobre esse verdadeiro paraíso? Compartilhe agora mesmo este artigo em suas redes sociais e divida essas informações com os seus contatos!

Powered by Rock Convert
Posts relacionados

24 thoughts on “Maracajaú: o guia completo com opções de passeios

  1. Adorei o Blog, parabéns. E obrigada pelo elogio ao Hotel Enseada Maracajaú, a recíproca é verdadeira. Gostamos muito da parceria com o Parrachos Praia Clube, uma das empresas mais sérias e comprometidas de Maracajaú.

Deixe um comentário