Recifes de corais: venha entender como se formam e sua importância

4 minutos para ler

Os recifes de corais estão entre os ecossistemas mais diversificados que podemos encontrar no mundo, pois têm a capacidade de acolher dezenas de milhares de diferentes espécies marinhas. Cerca de um terço de todas as espécies de peixes marinhos vivem parte de suas vidas em recifes de corais. Toda essa diversidade é possibilitada pelo trabalho de um pequeno animal chamado pólipo.

Milhares de pólipos formam, por um longo tempo, camada após camada de carbonato de cálcio (CaCO3), construindo uma estrutura comumente conhecida como coral duro. Cada coral é uma colônia de pólipos e um recife é uma coleção de corais. Os primeiros recifes do mundo surgiram há cerca de 500 bilhões de anos e, atualmente, são encontrados em oceanos tropicais límpidos, pois precisam de água com temperatura entre 20 e 30 graus Celsius para sobreviver, como em Maracajaú, no Rio Grande do Norte.

Neste post, vamos esclarecer algumas dúvidas sobre os recifes de corais. Confira!

Onde encontrar os recifes de corais?

Esses recifes são fantásticos para quem gosta de praticar mergulho. Eles geralmente prosperam em águas quentes, claras e calmas. Sua distribuição depende da temperatura da água, profundidade, intensidade da luz, salinidade, turbulência e sedimentação. Os recifes de corais estão em locais onde a temperatura está entre 20 e 28º C e a uma profundidade de 25 metros ou menos, o que é considerado o ideal.

O maior número deles é encontrado na área da Austrália , sudoeste da Ásia e Pacífico. Eles também podem ser encontrados na costa da Flórida, nos Estados Unidos; ao longo do Caribe e da costa do Brasil, como no Rio Grande do Norte, onde encontramos lindos recifes de corais.

Qual a real importância deles para a vida marinha?

Os recifes de corais são importantes porque desempenham o papel de florestas marinhas. Assim como as florestas são os pulmões da terra, os recifes são os pulmões do mar. Eles removem e reciclam o dióxido de carbono, protegem a terra de tempestades e ondas fortes e nos fornecem muitos alimentos, como mariscos e peixes. 

Os recifes também são economicamente importantes devido ao atrativo que têm para os turistas. Além disso, são de grande importância para evitar a erosão das praias e nos proteger de ondas fortes durante fortes tempestades e furacões.

Por quais motivos estão morrendo?

Atualmente, os recifes de todo o mundo estão ameaçados pelo aquecimento global, poluição marinha e exploração excessiva. Isso pode ser visto claramente com o branqueamento de corais — que ocorre quando zooxantelas e pólipos morrem — e descoloração, que é indicativa de corais ou recifes doentes ou mortos.

Além disso, o dióxido de carbono que é absorvido pela atmosfera para o oceano reduz as taxas de calcificação na construção de recifes e os organismos associados aos recifes são afetados, alterando a química da água do mar por uma redução do pH. Este processo é conhecido como acidificação do oceano.

As mudanças climáticas também já estão afetando os ecossistemas de recifes de corais pela elevação do nível do mar, mudanças na frequência e intensidade das tempestades tropicais, e a alteração dos padrões de circulação oceânica. Todos esses aspectos alteram dramaticamente a função do ecossistema, bem como os bens e serviços que os recifes de corais fornecem ao mundo.

Por fim, os recifes de corais são de extrema importância para a vida marinha. Por essa razão, é muito importante que algumas medidas sejam tomadas pelos seres humanos para evitar que eles morram, como manter as praias limpas, adotar um estilo de vida mais sustentável e participar de projetos de conscientização.

Curtiu nosso post? Ele foi útil para você? Então, compartilhe essas informações em suas redes sociais e deixe seus amigos por dentro do assunto!

Posts relacionados

Deixe um comentário